São Paulo inicia a implementação do Projeto Piloto em Logística Reversa

Portal da Prefeitura de São Paulo - Saiba Mais

Projeto consiste em duas etapas: o levantamento amplo de dados do setor e a elaboração, implementação e avaliação do projeto piloto

A diretoria de Planejamento e Desenvolvimento da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) realizou no dia 17/12/2014, no auditório da autarquia, a primeira reunião com o setor empresarial da área de eletroeletrônicos para apresentação do Projeto para a melhoria da logística reversa de Resíduos Elétricos e Eletrônicos (REE) na cidade de São Paulo.

O plano consiste neste primeiro momento na realização de pesquisa, levantamento de dados e diagnósticos sobre a atual situação de geração de resíduos eletroeletrônicos e das atividades de reciclagem. Na segunda etapa, em outubro de 2015, será elaborado o projeto piloto e, em 2016, será a implementação do plano de trabalho no município de São Paulo.

O acordo de cooperação, que tem duração de 3 anos, foi firmado entre o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ministério do Meio Ambiente (MMA), Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA), Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio da Secretaria de Serviços na qual a Amlurb responde como gerente do projeto. Desde o mês de outubro, profissionais da JICA estão alocados no departamento de Planejamento em Amlurb.

A iniciativa para realização do projeto piloto surgiu com intuito da implementação da Logística Reversa de Resíduos Eletroeletônicos no município de São Paulo, servindo como subsídio técnico para a definição do modelo, estruturas envolvidas, custos e outros.

Durante esse primeiro encontro com o setor, participaram representantes da autarquia municipal, JICA, MDIC, Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (ABINEE), Centro de Tecnologia e Informação (CTI), Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (ELETROS), Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (CETESB) e da Associação Paulista de Supermercados (APAS).

Segundo a coordenadora geral de análise da competitividade e desenvolvimento sustentável do MDIC, Beatriz Martins Carneiro, o objetivo da primeira reunião é reunir os responsáveis pela produção dos eletroeletrônicos que poderão compor o Comitê Técnico do projeto, a fim de fazer o levantamento amplo de dados do setor e elaborar o projeto piloto que terá duração de nove meses.
“A ideia é a construção em conjunta do projeto que, apesar de ser sobre logística reversa e ter um piloto para ser executado na cidade de São Paulo, não substitui e nem interfere na questão dos acordos setoriais. Esse projeto foi pensado para desenvolver uma inteligência para o Governo Federal e o município de São Paulo para que possamos aprender um pouco com os nossos colegas japoneses que conhecem as melhores técnicas e tecnologias para aplicação a logística reversa em eletroeletrônicos”, explicou Beatriz.

Em abril deste ano, a cidade de São Paulo lançou o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PGIRS), que traça diretrizes para o setor nos próximos 20 anos. Esse plano conta com um capítulo específico sobre a logística reversa de REE que visa assinar e estabelecer um termo de compromisso com o setor até o final de 2016, bem como monitorá-lo. Para o presidente da Amlurb, esse acordo de cooperação chegou em boa hora.

“O Ministério do Meio Ambiente nos consultou sobre o interesse de fazer esse projeto piloto no maior município do país e com o maior PIB, tecnologia, geração e comércio de eletroeletrônico do Estado de São Paulo. Vamos ter a oportunidade de contar com a expertise dos japoneses ao longo desse acordo de cooperação para que ao final do projeto piloto, possamos ter um diagnóstico dos resíduos eletroeletrônicos, a implemantação e avaliação da logística reversa no município de São Paulo. Esse projeto visa colaborar com os termos de compromissos”, concluiu o presidente da autarquia.

A iniciativa foi apresentada pela diretora de Planejamento e Desenvolvimento da Amlurb, Julia Moreno Lara que também é a gerente do projeto. Segundo a diretora o objetivo é, em 2017, avaliar o desempenho do projeto piloto, propor medidas de incentivo econômico para promover a logística reversa com um sistema eficaz de supervisão. “No último ano será realizada a avaliação do projeto piloto e a elaboração de proposta para expansão para outros municípios. O projeto visa adequar o plano de trabalho de acordo com cada perfil de município”, explicou Julia.
O projeto é um avanço para o país porque não há informações precisas sobre a geração de resíduos eletroeletrônicos. Atualmente, os dados são gerados de acordo com algumas estimativas de geração per capita ou estudos acadêmicos sobre este setor. “A cidade de São Paulo tem um plano pronto e ousado que cumpri com as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos. E o nosso município tem essa oportunidade de criar estratégias únicas e inovadoras que possam servir de modelo para o Brasil”, disse a gerente do projeto.

Durante o primeiro diálogo sobre a apresentação do projeto, os participantes contribuíram com sugestões e relataram alguns desafios para implementação do projeto piloto na cidade, dentre elas as áreas para disposição desses resíduos e os custos do projeto. Além disso, foi acordado entre os representantes da área de eletroeletrônicos o encaminhamento, até o final de janeiro de 2015, de sugestões a serem consideradas durante o levantamento de dados do setor para conclusão do diagnóstico.

Comentários

  1. Olá Marcus, sou de BH MG. Tenho interesse em montar uma pequena empresa de reciclagem de lixo eletrônico. Vcs dão suporte a interessados? ivane.ribeiro@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Marcus, sou de BH MG. Tenho interesse em montar uma pequena empresa de reciclagem de lixo eletrônico. Vcs dão suporte a interessados? ivane.ribeiro@gmail.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Criada a Entidade Gestora da Logística Reversa de Eletrônicos da ABINEE

PROJETO PILOTO DE COLETA DE RESÍDUOS ELETRÔNICOS - JICA