Marca inglesa de calçados femininos aposta em conforto e sustentabilidade

Publicidade

MANUELA MINNS
colaboração para a Folha de S.Paulo

Foi com design "trendy", respeito ao trabalho artesanal e materiais ecológicos na cabeça que o empresário Galahad Clark chegou à direção da inglesa Terra Plana, marca de sapatos estilosa e autoproclamada a empresa calçadista mais autosustentável do planeta.

Esses elementos, somados ao fator "pés sem bolhas depois de andar do metrô ao trabalho", têm feito a cabeça das inglesas mais descoladas desde 2003.

Divulgação
Filial da Terra Plana em Berdmondsey, Londres; marca aposta em sustentabilidade, acabamento artesanal e bom design
Filial da Terra Plana em Berdmondsey, Londres; marca aposta em sustentabilidade, acabamento artesanal e bom design

Designers, engenheiros de novos produtos e representantes de organizações ambientais trabalham juntos para desenvolver sapatos bonitos, funcionais e recicláveis.

As técnicas de confecção empregadas reduzem bem a quantidade de materiais poluentes, como cola e solventes. Daí a costura aparente, que dá um aspecto rústico-chique aos pares e funciona também como um traço de identidade de um modelo Terra Plana.

Está achando politicamente correto demais? Não acabou. De tempos em tempos, a Terra Plana faz campanhas e dá 10% de desconto em um novo par para a consumidora que levar seu sapato velho a uma das lojas. A ideia é reduzir a quantidade de lixo na terra e aumentar a vida útil de materiais industrializados, diz Clark: "O ideal seria que todo mundo parasse de usar sapatos. Só estamos tentando fazer o melhor".

Uma das assinaturas da Terra Plana, além da tal costura, são os sapatos feitos com colchas coloridas recicladas, produzidas em vilarejos pobres do Paquistão e de Bangladesh. Um desenho nunca é igual ao outro, o que dá charme extra aos peep-toes e escarpins. Nem por isso os preços vão até o céu: um par varia de 60 a 125 libras.

Mas o melhor de tudo é a sensação de andar por aí em cima de um dos saltos altíssimos da marca. Como os materiais são leves, a gente nem sente. A sola, flexível, e o acolchoado interno, feito de espuma reciclada com memória, permitem que você chegue ao fim do dia sem dor.

Divulgação
Sapato confeccionado com colcha artesanal sai por 125 libras (aproximadamente R$ 400)
Sapato confeccionado com colcha artesanal sai por 125 libras (aproximadamente R$ 400)

Integrante da sétima geração de uma tradicional família de produtores de sapatos de Somerset, sul da Inglaterra, dona da gigante rede Clarks, Galahad cresceu rodeado por couros, solas e fôrmas. As férias de verão ele passava em Northampton e Itália, nas fábricas da família.

Depois de rodar o mundo e de se formar em antropologia, fundou a organização Students 4 Students International, que atua com projetos humanitários na África. Passou a trabalhar na Clarks, onde tentou, sem sucesso, implementar as ideias que hoje são o fundamento da Terra Plana.

"Eu tentei, mas eles se movem a passos lentos", diz, referindo-se à Clarks. Então, em 2003, ele tomou as rédeas da Terra Plana, até ali especializada em sapatos masculinos, e transformou utopia em lucro.

O conceito que reúne beleza, conforto e preocupação ambiental em um par de calçados gerou um negócio com lojas em Londres, Nova York, Viena e Hong Kong. Os produtos são distribuídos em 20 países.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Criada a Entidade Gestora da Logística Reversa de Eletrônicos da ABINEE

São Paulo inicia a implementação do Projeto Piloto em Logística Reversa

PROJETO PILOTO DE COLETA DE RESÍDUOS ELETRÔNICOS - JICA