Marca inglesa de calçados femininos aposta em conforto e sustentabilidade

Publicidade

MANUELA MINNS
colaboração para a Folha de S.Paulo

Foi com design "trendy", respeito ao trabalho artesanal e materiais ecológicos na cabeça que o empresário Galahad Clark chegou à direção da inglesa Terra Plana, marca de sapatos estilosa e autoproclamada a empresa calçadista mais autosustentável do planeta.

Esses elementos, somados ao fator "pés sem bolhas depois de andar do metrô ao trabalho", têm feito a cabeça das inglesas mais descoladas desde 2003.

Divulgação
Filial da Terra Plana em Berdmondsey, Londres; marca aposta em sustentabilidade, acabamento artesanal e bom design
Filial da Terra Plana em Berdmondsey, Londres; marca aposta em sustentabilidade, acabamento artesanal e bom design

Designers, engenheiros de novos produtos e representantes de organizações ambientais trabalham juntos para desenvolver sapatos bonitos, funcionais e recicláveis.

As técnicas de confecção empregadas reduzem bem a quantidade de materiais poluentes, como cola e solventes. Daí a costura aparente, que dá um aspecto rústico-chique aos pares e funciona também como um traço de identidade de um modelo Terra Plana.

Está achando politicamente correto demais? Não acabou. De tempos em tempos, a Terra Plana faz campanhas e dá 10% de desconto em um novo par para a consumidora que levar seu sapato velho a uma das lojas. A ideia é reduzir a quantidade de lixo na terra e aumentar a vida útil de materiais industrializados, diz Clark: "O ideal seria que todo mundo parasse de usar sapatos. Só estamos tentando fazer o melhor".

Uma das assinaturas da Terra Plana, além da tal costura, são os sapatos feitos com colchas coloridas recicladas, produzidas em vilarejos pobres do Paquistão e de Bangladesh. Um desenho nunca é igual ao outro, o que dá charme extra aos peep-toes e escarpins. Nem por isso os preços vão até o céu: um par varia de 60 a 125 libras.

Mas o melhor de tudo é a sensação de andar por aí em cima de um dos saltos altíssimos da marca. Como os materiais são leves, a gente nem sente. A sola, flexível, e o acolchoado interno, feito de espuma reciclada com memória, permitem que você chegue ao fim do dia sem dor.

Divulgação
Sapato confeccionado com colcha artesanal sai por 125 libras (aproximadamente R$ 400)
Sapato confeccionado com colcha artesanal sai por 125 libras (aproximadamente R$ 400)

Integrante da sétima geração de uma tradicional família de produtores de sapatos de Somerset, sul da Inglaterra, dona da gigante rede Clarks, Galahad cresceu rodeado por couros, solas e fôrmas. As férias de verão ele passava em Northampton e Itália, nas fábricas da família.

Depois de rodar o mundo e de se formar em antropologia, fundou a organização Students 4 Students International, que atua com projetos humanitários na África. Passou a trabalhar na Clarks, onde tentou, sem sucesso, implementar as ideias que hoje são o fundamento da Terra Plana.

"Eu tentei, mas eles se movem a passos lentos", diz, referindo-se à Clarks. Então, em 2003, ele tomou as rédeas da Terra Plana, até ali especializada em sapatos masculinos, e transformou utopia em lucro.

O conceito que reúne beleza, conforto e preocupação ambiental em um par de calçados gerou um negócio com lojas em Londres, Nova York, Viena e Hong Kong. Os produtos são distribuídos em 20 países.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

As maneiras doidas para “garimpar” metais preciosos de aparelhos velhos no futuro

Criada a Entidade Gestora da Logística Reversa de Eletrônicos da ABINEE

PROJETO PILOTO DE COLETA DE RESÍDUOS ELETRÔNICOS - JICA